11 3522-9002

Consolidação das Demonstrações Contábeis

Home / Cursos / Cursos de IFRS / Consolidação das Demonstrações Contábeis

ABORDAGEM CONTÁBIL E FISCAL – IMPACTOS DA LEI 12.973/2014 E IN 1700/17

Considerações

A contabilidade brasileira passou por grandes mudanças que se iniciaram em 2008 até 2010, quando o Brasil adotou definitivamente as normas contábeis internacionais ou International Financial Reporting Standards (IFRS). Nesse período as mudanças contábeis não ocasionavam efeitos tributários, pois, eram anuladas como ajustes do Regime Tributário de Transição. A partir de 2015 a RFB adotou as IFRS para fins tributários e as diferenças que anteriormente eram ajustes de RTT passaram a ser controladas por subconta ou no lado B do e-lalur e e-lacs, e em alguns casos, nem por um, nem por outro.

Com relação aos investimentos em controladas, coligadas e join venture são diversas as situações que deverão ocorrer controles por subcontas, Lado B ou mesmo, situações em que não é aplicável o controle por subcontas e nem Lado B, como a equivalência patrimonial.

Diante dessa realidade, os profissionais responsáveis pela elaboração das demonstrações contábeis, além de ter conhecimentos dos CPCs vigentes até o encerramento do exercício, também, tem que conhecer a sistemática de controles tributários, através das subcontas, para não incorrer em antecipação desnecessária de impostos ou mesmo acarretar aumento na carga tributária.

A sistemática é complexa, com tratamentos específicos na contabilidade, ECD e ECF para as diferenças de RTT não realizadas até a data da adoção inicial e para as transações contábeis ocorridas após a adoção inicial. Após a adoção inicial, cada CPC pode ter um tratamento ou um controle diferente, exigindo dos profissionais muita atenção.

Além das questões citadas anteriormente, o plano de contas deve ser remodelado para atender os requisitos do plano referencial e importação de dados para ECF em especial as demonstrações contábeis e escrituração do e-lalur e e-lacs

O novo PVA da ECD também traz como novidade a apresentação das Demonstrações Contábeis Consolidadas que devem ser apresentadas no Registro K e em conformidade com os CPCs vigentes até no encerramento do exercício, exigindo dos profissionais não só conhecimentos dos atuais CPCs relacionados ao assunto, como também conhecer os aspectos tributários para atender as novas exigências da RFB.

Assim sendo, este curso foi desenvolvido para atender todas essas necessidades de informação, considerando o modelo full de IFRS e também o CPC-PME e suas últimas alterações.

Objetivos

Público-alvo

Contadores, Controllers, gerentes da área contábil e financeira, analistas de controladoria e de contabilidade, consultores da área contábil e tributária, profissionais da área fiscal, advogados e demais interessados no assunto profissionais.

Metodologia

Apresentação expositiva e dialogada com os participantes. Exemplos práticos e exercícios de fixação dos conceitos.

Instrutor

Ana Abreu
Bacharel em Ciências Contábeis pela UNIB, Pós-Graduada em Direito Tributário pelo IBET/USP e também em Finanças e Controladoria pela FGV, MBA em gestão Tributária pelo INPG. Certificada em IFRS emitido pelo ACCA (março de 2009 ).
Atuando há mais de 25 anos, profissionalmente na área de controladoria, fiscal e planejamento tributário de grandes multinacionais, com vivência em segmentos de destaque, tais como Informática, Serviços, Terceiro Setor e Indústria e Comércio de Cosméticos, etc. Responsável por trabalhos de destaque na área de planejamento tributário focando a implantação de novos projetos como centros de distribuição, nova planta industrial, redução da carga tributária, reorganização societária, transfer price, revisões tributárias e eliminação de riscos fiscais.
Atuação destacada em negociações com órgãos governamentais, objetivando regimes especiais, benefícios e incentivos fiscais, MVA ICMS substituição tributária e eliminação de saldo credor de ICMS, resultando em significativa redução da carga tributária.
Coordenação e implantação das novas normas contábeis, Lei 11638/07, Lei 11941/09 e os novos CPCs, visando à convergência contábil para as normas internacionais IFRS.
Coordenação e implantação de SPED - Arquivos Magnéticos, Contábil e Nota fiscal eletrônica. Palestrante e professora em vários cursos de especialização na área contábil e tributária.

Conteúdo Programático

CPCs que serão abordados:

MÓDULO I - IAS 28/ CPC 18 - PARTICIPAÇÕES SOCIETÁRIAS E EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL

MÓDULO II – IFRS 10/ CPC 36 (R3) - CONSOLIDAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

MÓDULO III – NEGÓCIOS EM CONJUNTO
IFRS 11/ CPC 19 (R2) – Negócios em Conjunto

MÓDULO IV – DEMONSTRAÇÕES SEPARADAS, COMBINADAS E DIVULGAÇÕES
IFRS 12 /CPC 45 - Divulgações de participações em outras entidades

IAS27/ CPC 35(R2) – DEMONSTRAÇÕES SEPARADAS

CPC 44 – DEMONSTRAÇÕES COMBINADAS

IAS 24/CPC 05 (R1) – DIVULGAÇÃO DE PARTES RELACIONADAS

IAS 33/CPC 41 (R1) – RESULTADOS POR AÇÃO

MÓDULO V - ASPECTOS TRIBUTÁRIOS DAS PARTICIPAÇÕES SOCIETÁRIAS

ECD – Registro – Demonstrações Consolidadas - E demais alterações

Inscrava-se:
Contate-nos
Carga horária:
24 Horas
Pontuação:
CFC SP04897
AUD: 24 pontos
CMN: 24 pontos
SUSEP: 24 pontos
ProGP: 16 pontos
Perito: 0
Datas e horários:

Formas de Investimento:
Depósito Bancário, Boleto ou Pagseguro

Entre em contato para fazer sua inscrição ou tirar dúvidas.